terça-feira, 15 de abril de 2014

GT vai propor ações para valorizar servidores e melhorar ambiente de trabalho

O secretário-geral do Ministério Público da União, Lauro Cardoso, instituiu, nesta terça-feira, 15 de abril, grupo de trabalho para propor ações voltadas à valorização dos servidores do MPU e melhoria do ambiente de trabalho. A comissão terá o prazo de 45 dias, a partir da publicação da Portaria SG/MPF nº 487, para conclusão dos estudos.

O GT será coordenado pelo secretário-geral adjunto do MPU, Danilo Pinheiro Dias, como representante da administração; e contará com a participação dos servidores Ana Paula Cusinato, coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União (Sindjus), e Darci Rodrigues de Almeida, diretor do Sindicato Nacional dos Servidores do MPU (Sinasempu).

De acordo com Danilo Dias, além de propor medidas de simples implementação, como a instituição de premiações ou de ações relacionadas à qualidade de vida, o grupo também será responsável por analisar a viabilidade das iniciativas de melhoria da carreira dos servidores do MPU, já em tramitação no Congresso Nacional, ou de elaborar de um novo plano de cargos e salário.

O coordenador poderá solicitar a participação eventual de outros servidores para auxiliarem no desenvolvimento dos trabalhos.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Direito de Resposta ao Sr Leilton

Nota de esclarecimento aos colegas de todo o Brasil sobre as questões apresentadas no “Trombetas de Jericó”.

A atuação de qualquer instrumento de comunicação tem que ser pautada na verdade, e com mais rigor ainda para aquele que defende servidores. Ocorre que o “Trombetas” não defende todos os servidores, ele defende um seguimento mais jovem da carreira abrindo espaço para que este grupo oferte ofensas gratuitas aos demais colegas que já possuem um certo tempo na carreira. A minha ação foi para que isso deixasse de acontecer, para que houvesse respeito por colegas que já dedicaram vários anos a serviço da casa, o que a meu ver também é um desrespeito pela própria instituição quando afronta de maneira tão grosseira os colegas.

Ao ver a minha atuação ser tratada de maneira tão leviana e desvirtuada de seu real interesse, coube a minha pessoa defender a verdade, e ao fazê-lo fui novamente exposto com argumentos sem qualquer critério, dos quais fiz questão de provar que eram falsos.

A vantagem eleitoral que o Senhor Bruno Marota se reporta é o envio do projeto PCS MPU2014, que obteve amplo apoio da categoria, como podem verificar no site http://www.peticaopublica.com.br/psign.aspx?pi=pcsmpu2014 , o que é indiscutível se comparado a pesquisa conjunta do SINASEMPU e SINDJUS, por diversas vezes eu já os havia informado que nenhum dos PL's do Congresso seriam levado a frente, palavras do próprio PGR e do Chefe de Gabinete, e na contramão dessa proposta levaram a categoria para caminhos contrários ao que a administração apresentava com alternativa, atrasando todo um trabalho que poderia ser extremamente benéfico a categoria. Uma boa parte de pessoas sensatas visualizaram esse erro estratégico e viram a eficiência do trabalho realizado pela CHAPA 2 “ UM SINASEMPU PARA TODOS”, assinando a petição e se unindo a um projeto que foi recebido pela administração e está sob análise. Se esse trabalho não fosse bom, não teria sido elogiado e recebido pela casa, inclusive com o comentário do próprio Chefe de Gabinete do PGR, Eduardo Pelella, reconhecendo que o trabalho era bom, que ele mesmo terminaria a leitura do processo para que a casa pudesse avaliar a viabilidade de utilização se não do todo, mas de parte do projeto.

Deixo claro que considero sim um ato de covardia qualquer cidadão, investido do anonimato, atacar os demais colegas utilizando características físicas, opção sexual ou local de trabalho, para expô-lo perante um grupo de servidores.

Acho sim que essas pessoas deveriam ser punidas por seus atos, se o anonimato tivesse sido utilizado para fins nobres, creio que ninguém em sã consciência se oporia, mas infelizmente não é o caso.

Não culpo esses jovens completamente pelo desvio de comportamento que apresentam, muito de tudo isso é oriundo do péssimo exemplo de nossas autoridades que quebram acordos ou os fazem para benefício próprio ou de terceiros, levando o nosso país a situação que se encontra atualmente.

Continuarei meu trabalho a frente da CHAPA 2, sem recursos, mas com a tranquilidade de não precisar MENTIR PARA OBTER QUALQUER VANTAGEM.

Luto sim, por um sindicato transparente e livre de todas essas mazelas que procuram de todos os meios se alojar em cada instituição de nosso país.

Um SINASEMPU totalmente transparente, UM SINASEMPU PARA TODOS!

Leilton Ader Calasan

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Fim dos Comentários Anônimos no Trombetas

O Trombetas de Jericó informa a todos, que a partir de hoje, dia 10 de Abril de 2014, os comentários feitos no blog deverão ser obrigatoriamente identificados. Tal decisão se deve aos seguintes fatos:

Conforme já explicado, o Sr Leilton Ader Calasan apresentou pedido de impugnação da chapa do atual diretor do SINASEMPU, Sr Darci Almeida Rodrigues, por comentários feitos aqui no blog pelo personagem de alcunha Mestre Yoda ou Mestre Fraudola, onde esse satiriza uma hipotética assembleia de servidores antigos na carreira. O Sr Leilton alega ter sido ofendido em sua honra pelos comentários postados.

Tão logo tomamos conhecimento do pedido de impugnação e do seu conteúdo, prontamente retiramos os comentários do ar. Esclarecemos também que nunca havíamos nos negado a remover comentários quando solicitados e o Sr Leilton nem mesmo nos procurou antes de tomar essa atitude. Nosso e-mail sempre esteve disponível para contato e sempre foi de domínio público que um dos administradores do blog é o Sr Bruno de Miranda Marota, também diretor do SINASEMPU, que trabalha no mesmo bloco e andar do ofendido.

Além disso, o Sr Leilton Calasan, que hoje concorre à diretoria nacional do SINASEMPU em oposição à continuidade da atual gestão, também representou contra o blog perante a Administração do Ministério Público através de um reclamação que pode ser consultada no Único, através das palavras "Trombetas de Jericó". O conteúdo integral ainda não nos foi cedido, mas é referente a comentários do blog.

Sendo assim, gostaríamos publicamente de pedir desculpas ao Sr Leilton por não termos atuado antecipadamente e removido os comentários postado nessa mídia de comunicação. Pedimos desculpa também a todos os servidores que tenham se sentido ofendidos pelas diversas discussões que já ocorreram aqui entre usuários anônimos. Nossa intenção com o blog sempre foi trazer a discussão da carreira e dos problemas nela existentes e não prejudicar os servidores.

Além do Sr Leilton, o Sr Pedro Sobrinho, representante da ASSTTRA, que agora mudou de nome para AGEMPU, também reclamou hoje, em um comentário, de outros comentários anônimos que teriam ofendido a sua entidade.

Nós, conforme havíamos nos proposto em post anterior, estávamos revisando todos os 10 mil comentários existentes e removendo tudo o que pudesse ser ofensivo, mas, diante das novas reclamações e dos novos comentários já feitos, tivemos que tomar a seguinte atitude:

Vamos remover todos os comentários do blog e a partir de hoje, somente serão permitidos comentários identificados. Uma vez que a retirada dos antigos está demorando demais e nos dando muito trabalho.

Entendemos que não podemos ser responsabilizados pelo que não tenhamos feito. Os que reclamam invocam o artigo da Constituição Federal que diz que é livre a liberdade de expressão e vedado o anonimato. Portanto, é nosso dever bloquear os comentários anônimos. Se permitirmos que assim permaneçam, estaremos sujeitos aos mais diversos tipos de sanções.

Sabemos que muitos extravasam aqui no blog Trombetas de Jericó. Já nos foi dito que este local é usado como uma forma de "terapia coletiva", um refúgio para os servidores reclamarem e aliviarem a pressão. Mesmo com esse alívio, ainda tivemos dois suicídios na casa, o que poderia ser pior se não fosse a existência dessa válvula de escape. A verdade é que muitos nos procuraram pedindo ajuda e sempre tentamos ajudar divulgando o que nos foi pedido.

Mas nem todos compartilham dessa visão, o Sr Leilton, entende as coisas de outra forma e é preciso divulgar a visão dele:


Apesar de darmos razão à reclamação dele e de estarmos pedindo desculpas publicamente, aproveitamos o gancho das palavras para trazer uma outra visão e significado para o que está acontecendo, um sentido que pode ter passado desapercebido por muitos.

Hoje, este Senhor é candidato a Diretor Nacional do SINASEMPU e tentou impugnar a chapa da atual diretoria baseado em comentário anônimo que nem mesmo o citou. Ao mesmo tempo, representou administrativamente contra o blog Trombetas de Jericó sabendo que outro membro da diretoria fazia parte do blog, já que a informação sempre esteve disponível entre os servidores, tanto que muitos nos procuraram para postar aqui.

Após a revisão de mais de mil comentários, e foi tudo o que conseguimos fazer até o momento, percebemos que existem falas muito mais agressivas do que as que causaram a confusão. Então, diante disso tudo, nos perguntamos se a intenção dele não é outra, além de reclamar da ofensa moral. Nos perguntamos se não há outro interesse envolvido, o interesse de prejudicar a atual diretoria para, de alguma forma, favorecer a sua eleição como diretor sindical

Então, concluímos essa mensagem pedindo aos servidores que reflitam bem. Essa representação pode prejudicar muitos colegas de trabalho. Alguém que um dia tenha ficado irritado com o chefe, ou com o serviço e tenha se exaltado no blog, pode vir a ser punido por isso.

O Sr Leilton poderia ter nos pedido para remover o comentário que o ofendeu, mas preferiu tomar atitude mais drástica, expondo todos os colegas que já comentaram aqui.

Que tipo de diretor sindical nós queremos ter?

Retratação - Informamos que o Sr Leilton convenientemente trabalha em local que avalia infrações disciplinares. Foi um erro nosso, assumimos que se tratava disso em função do nome da unidade. Segundo o próprio ele trabalha na na CAIS, Comissão de Análise de Sanções e Infrações Administrativas da Secretaria de Administração-PGR. A função dessa comissão é sugerir a aplicação de penalidades às empresas prestadoras de serviços do MPU. Digo do MPU, pois alguns contratos são de extensão nacional.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

NOTA DO TROMBETAS SOBRE COMENTÁRIOS NO BLOG

Um dos servidores da PGR e também candidato a eleição para diretoria nacional do SINASEMPU protocolou pedido de impugnação da chapa que tem como um dos candidatos, o Sr Darci Rodrigues de Almeida. membro da atual diretoria e diretor de Plantão.

Em tal pedido, o servidor e apenas candidato a diretor diz sentir-se ofendido em sua honra por comentários registrados aqui no site Trombetas de Jericó pelo usuário de alcunha Mestre Yoda ou Mestre Fraudola, figura recorrente em comentários no blog. Tal pedido também parece ter se dado em razão de ser de domínio público a informação que, um dos membros da Diretoria Nacional do Sindicato, o Sr Burno de Miranda Marota, ser também um dos administradores do Trombetas. Outro fator relevante é que o blog apoiou a ex-diretoria (DENIN), apoia a atual diretoria (DENC) e a continuidade da gestão.

Então, de alguma forma, há a intenção de associar os comentários postados por anônimos ou por seus alter-egos aos administradores do blog e a atual diretoria do SINASEMPU. O que nunca aconteceu de fato.

Sendo assim, o Trombetas de Jericó entende que há a necessidade de esclarecer que, em primeiro lugar, nunca houve pedido para que tais comentários fossem retirados deste blog. O e-mail grevepgr@gmail.com sempre esteve disponível para contato em link no blog para quem desejasse receber as nossas comunicações ou falar conosco. Em outras oportunidades, já recebemos, por mais de uma vez, pedidos de remoção de comentários e todos foram atendidos de imediato.

É preciso salientar que o blog conta com mais de 400 mil visitas e mais de 10 mil comentários. Ou seja, é praticamente impossível fazer o acompanhamento adequado dos comentários um a um, principalmente porque trabalhamos e temos família. Além disso, é difícil fazer o julgamento do que deve ou não deve ser excluído. Já havíamos tentado fazer moderação de comentários e isso gerou mais malefícios do que benefícios. Disseram que estávamos censurando alguns grupos e isso ainda nos ocupou muito tempo diário. Por isso desistimos da ideia. As vezes, alguns de nós acompanham os comentários, as vezes não. Depende muito da época e do dia.

Entretanto, em virtude do ocorrido, para sanar qualquer problema ou mal entendido, estamos revisando TODOS os 10 mil comentários e removendo qualquer um que possua potencial ofensivo a qualquer indivíduo. O que é um trabalho é árduo e hérculo. Avisamos que não estamos considerando que as palavras "Dino" ou "Fraldinha", usadas apenas como referência a servidores novos ou antigos, sejam ofensivas. Caso alguém entenda assim, por favor, indique o comentário que iremos retirá-lo.

O blog visa à discussão legítima, aberta e sem medo dos problemas que ocorrem no Ministério Público da União e dos assuntos pertinentes às carreiras de servidores e membros, não à ofensa pessoal ou qualquer coisa parecida.

Por fim, gostaríamos de solicitar às pessoas que tenham cuidado em seus comentários, procurem não ofender os colegas ou membros da administração. A ferramenta permite comentários anônimos para que os servidores possam expressar suas opiniões, sem medo de retaliação no ambiente de trabalho. Afinal, sabemos que assédio moral é o assunto recorrente na casa e pertinente, mas é preciso que o respeito seja mantido.

Por último, esclarecemos ainda que, apesar do apoio do blog à continuidade da atual gestão do SINASEMPU nas eleições vindouras, nenhum membro daqui ou da Diretoria do Sindicato foi responsável pelos tais comentários citados no pedido de impugnação e que não temos como saber quem utiliza a alcunha de Mestre Yoda. Ele nunca se identificou, apesar de já ter nos repassado postagens por e-mail para serem colocas no blog.

O Trombetas de Jericó está a disposição para qualquer outro esclarecimento necessário.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Suicídio de Outro Servidor da PGR?

Sabe-se que um servidor da SPO foi encontrado morto na PGR no dia primeiro de abril de 2014. A Administração emitiu uma nota de falecimento, uma de pesar e outra dizendo que o pronto atendimento médico estava suspenso. Além disso, a polícia foi chamada e inquérito foi instaurado.

As notícias que correm pela casa indicam que o servidor entrou armado no prédio e tirou a própria vida dentro da instituição. Caso os fatos sejam confirmados, esse seria o segundo suicídio de servidor da Procuradoria Geral da República em 3 anos. O primeiro era técnico de segurança e segundo relatos, passava por situação de assédio moral.

Nada foi concluído sobre o caso, que aconteceu fora das dependências do órgão. Também não temos relato que esse tipo de coisa já tivesse acontecido antes da atual gestão administrativa e, se o fato realmente aconteceu como dizem os rumores, dentro do prédio, possui forte significado e provável relação com o trabalho. Apenas provável.

Esse acontecimento trágico nos leva a alguns questionamentos muito sérios:

Em primeiro lugar, porque 6 seguranças armados da casa foram movidos para o transporte, se poderiam estar nos defendendo e defendendo os procuradores? Em segundo lugar, se temos equipamentos de raio-x, porque não são usados? O que estaria fazendo o atual Secretário de Segurança Institucional senão nos protegendo?

Em segundo lugar, terá isso relação com os diversos relatos de assédio moral que vem se espalhando pela casa? Quantas vezes mais terá que acontecer algo assim para que as coisas mudem?

É muito provável que a administração não comente oficialmente o fato, mas tanto SINASEMPU como ASMPF irão acompanhar o inquérito policial. É direito e interesse dos servidores saber o que está acontecendo no local de trabalho. Além disso, era um companheiro nosso. Poderia ter acontecido com a pessoa do nosso lado ou um outro indivíduo armado poderia entrar na casa e atirar qualquer um de nós e em nossos colegas.

Imaginem como estão se sentido os colegas da SPO e a família? Nós sentimos muito pelo acontecimento e pela perda, tanto da família, como dos servidores, mas infelizmente, não temos como imaginar que os motivos, caso tenha acontecido mesmo dessa forma, não tenham relação nenhuma com o ambiente de trabalho.

Da primeira vez, nos omitimos e não comentamos o fato, agora não há como. As pessoa precisam saber o que está acontecendo. Temos que cobrar atitudes concretas do PGR. As coisas não podem continuar como estão. As vidas das pessoas estão em jogo. Isso não é uma brincadeira.


NOTA DE REPÚDIO AO OF/CIRC. 36/2014

O SINASEMPU REPUDIA VEEMENTEMENTE O TEOR DO OFÍCIO-CIRCULAR SG/GAB/Nº36/2014, datado de 17/03/2014, no qual o Secretário-Geral do Ministério Público Federal, Lauro Pinto Cardoso Neto, determina aos Procuradores-Chefes de todas as Unidades do MPU que façam cumprir o §1º do artigo 1º da Portaria PGR/MPU nº 707/2006, que estabelece o turno de trabalho ininterrupto de 07 (sete) horas. Solicitou ainda, que seja publicada no sistema Grifo tal adequação e que a nova jornada seja cumprida a partir de hoje (1º de Abril).

Essa determinação do SG é um regresso, é uma decisão nefasta para os servidores, com flagrante prejuízo que lhes é imposto, na medida em que obriga a quem tiver a necessidade de fracionar sua jornada a cumprir jornada semanal de 40 (quarenta) horas semanais (regime de 40 horas). Veja a orientação recebida: "...os servidores constantes do ofício devem ou alterar suas jornadas de trabalho para sete horas ininterruptas, ou 40h semanais com almoço (...)".

Servidores e servidoras de todo o país se viram, de uma hora para a outra, obrigadas a cumprir horário de 07 horas ininterruptas, impossibilitando os pais de poderem fracionar sua jornada de trabalho para dar almoço, levar e buscar seus filhos para creches e escolas.

A jornada de trabalho até então praticada por esses servidores, por absoluta necessidade NÃO CAUSA NENHUM PREJUÍZO A ADMINISTRAÇÃO, na medida em que essas pessoas cumprem a jornada de trabalho de 07 (sete) horas, como os demais servidores que fazem a jornada de maneira ininterrupta. Não infringe nenhum dispositivo trabalhista, pois a legislação NÃO DETERMINA que a jornada de 07 (sete) horas tenha que ser realizada em turno único. Determina SOMENTE que jornada de trabalho além de 07 (sete) horas deve ser realizada em 02 (dois) turno, com intervalo mínimo de 01 (uma) hora.

O SINASEMPU, por seu Diretor Plantonista Darci Rodrigues de Almeida, teve uma audiência, ontem, com a Secretária de Gestão de Pessoas, Sabrina Maiolino para tratar desse assunto e criticar essa medida, pedindo a imediata suspensão dos efeitos do famigerado Ofício-Circular até que se analise e se promova as necessárias alterações na Portaria 707/2006, visando permitir a flexibilização da jornada de trabalho para esses servidores.

Hoje pela manhã o Diretor Darci teve uma audiência com o Chefe de Gabinete, Dr. Eduardo Pelella, para que leve ao Procurador-Geral da República a inconformidade do SINASEMPU com essa medida, pedindo que seja determinada a imediata suspensão dos efeitos do referido Ofício-Circular. Dr. Pelella informou desconhecer a base legal do referido ofício-circular e se comprometeu a contatar o Secretário-Geral, ainda hoje, para se inteirar do assunto. Mostrou-se preocupado e sensibilizado com os efeitos dessa decisão e comprometeu-se a dar um retorno de imediato.

O SINASEMPU encaminhou a questão para o escritório jurídico para que analise a questão para, se necessário, buscar a via judicial caso não se resolva o problema administrativamente.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Portaria do Grifo Prejudica Muitos Servidores

Recentemente, um portaria determinou que TODOS os horários do Grifo fossem ajustados para sete horas ininterruptas. Esperava-se que o intuito desta norma fosse o de uniformizar o tratamento dos 30 minutos de intervalo para almoço, que vinham sendo exigidos em algumas procuradorias e ignorados em outras.

Parecia uma atitude benéfica a muitos servidores, que agora teriam as 7 horas corridas de fato, mas não foi isso o que aconteceu. Não são poucas as procuradorias que estão interpretando a norma no sentido de impedir intervalos durante o horário de trabalho.

Muitos colegas precisam ausentar-se durante o expediente para buscar ou levar os filhos no colégio. Essas pessoas foram obrigadas a ajustar seus pontos para 7 horas corridas. Eles receberam um ofício exigindo e, em consequência disso, várias chefias estão obrigando o cumprimento do tempo de trabalho corrido ou então, a obrigatoriedade de trabalho por 40 horas semanais.

Com a entrada do novo PGR, muitos estavam esperançosos. O Dr Rodrigo Janot deu bons indícios de que faria as coisas de forma diferentes, mas já passaram mais de 6 meses do início de sua gestão e as mesmas coisas que aconteciam durante a era Gurgel continuam a acontecer.

O Secretário Geral ainda é o Dr Lauro, os secretários ainda são os mesmos de antes, apesar da clara insatisfação que os subordinados possuem em relação a eles. E os servidores continuam sendo oprimidos em vários locais de trabalho.

A casa parece estar dando continuidade à desmotivação estratégica. Fala em modernização, mas está cada vez mais burocrática. Ao invés de focar no controle por resultados e incentivar essa prática, continua desmotivando seus servidores e focando no controle pelo controle.